Programas de prevenção de riscos resultam em economia e melhoria da qualidade de vida de beneficiários

Adalton dos Anjos

Estudos realizados nos 34 países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) indicam que para cada dólar investido em prevenção de saúde economizam-se três. As ações das operadoras para a promoção de hábitos saudáveis voltados para a prevenção de riscos e doenças têm sido cada vez mais diversificadas na tentativa de atrair clientes e diminuir os custos. A Sul América Saúde, por exemplo, investe cerca de R$ 1,5 milhão por mês no seu programa Saúde Ativa, que já atendeu 200 mil segurados. Em compensação, em termos financeiros, os resultados de 2010 mostram que o grupo de ativos no programa foi 15% melhor em comparação aos outros clientes.

“Os retornos dos investimentos em saúde preventiva são obtidos a médio e longo prazo. Primeiramente visamos a conscientização da população sobre a importância e bons hábitos e depois estimulamos a utilização dos serviços disponibilizados pelos programas que geram maior controle do custeio assistencial”, explica a gerente de prevenção e assistência da Camed, Maria Sandra Cavalcante. A operadora, que implantou o seu primeiro programa há 27 anos, comemora a participação de mais de 39 mil beneficiários entre janeiro e agosto deste ano.

Na Sul América, o retorno dos recursos para o programa reflete também uma melhoria na qualidade de vida dos beneficiários. A redução do número de complicações por conta da menor quantidade de diárias de internação e de atendimentos em Prontos Socorros resultou em um aumento do nível de satisfação do segurados (94%). Para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), os programas de prevenção de riscos representam o futuro econômico das operadoras. “É uma forma de as operadoras se sustentarem no setor, pois com o envelhecimento dos usuários há um aumento de custos e gastos”, conta a diretora do órgão, Martha Oliveira.

Mas nem sempre é preciso uma grande soma de investimentos para implantação de programas de prevenção de riscos por uma operadora. Na Camed, por exemplo, a equipe e a própria estrutura que o plano de saúde já tem foi usada para o desenvolvimento das ações do Programa Promovendo Saúde, Programa de Prevenção Odontológica, entre outros.

Na Amil, maior operadora de saúde do Brasil, com uma carteira de mais de 5,6 milhões de beneficiários, vários programas de prevenção são adotados desde 1978. Com um banco de dados de mais de 20 milhões de riscos e eventos, Cláudio Tesla, executivo da companhia, explica que 80% dos clientes participam do Estudo de Cobertura de Riscos, criado em 2006, desde a entrada no plano de saúde.

Mesmo com a participação dos usuários e o desenvolvimento de vários programas de saúde, a empresa afirma que não tem por objetivo o viés econômico. “Não temos a intenção de investir nisso como retorno financeiro. Com o nosso conceito médico de gestão, a prevenção é muito lógica. Não tem como o médico fazer gestão em saúde sem atuar em prevenção”, afirma Tesla.

“A cultura da prevenção de saúde é saudável tanto para os hospitais, quando para as operadoras e o próprio beneficiário. As casas de saúde representam a ponta da prestação de serviços da maior parte das operadoras que, somente um trabalho conjunto que, desde já nos dispomos a fazer e a contribuir terá sucesso”, opina o vice-presidente da Associação Nacional de Hospitais Privados (ANAHP), Francisco Balestrin. Para ele, ainda falta a introdução de incentivos tanto do ponto de vista financeiro quanto regulatório.

Fonte: Portal Diagnóstico Web

Últimas Notícias

Presidente da CMB participa da abertura do XI…

25-08-2016 Lenir Camimura

O presidente da CMB, Edson Rogatti, participou, na noite dessa quarta-feira (24), da abertura oficial do 38º Encontro Catarinense de Hospitais e XI Congresso Nacional de Operadoras Filantrópicas de Planos...

Leia mais

XI Congresso da Rede: Gestão de risco pode co…

24-08-2016 Lenir Camimura

Começa na tarde desta quarta-feira, 24 de agosto, o XI Congresso Nacional de Operadoras Filantrópicas de Planos de Saúde e o 38º Encontro Catarinense de Hospitais, em Florianópolis (SC). Os...

Leia mais

XI Congresso da Rede: ANS debate os impactos…

17-08-2016 Lenir Camimura

Faltam sete dias para o XI Congresso nacional das operadoras Filantrópicas de Planos de Saúde, que será realizado simultaneamente ao 38º Encontro Catarinense de Hospitais, em Florianópolis (SC). Entre os...

Leia mais

ANS participa de debate sobre contratualizaçã…

17-08-2016 CMB/26º Congresso

A relação entre os hospitais filantrópicos, enquanto prestadores de serviços, e os planos de saúde será o foco do debate “Atualização de contratos e classificação de hospitais”, que será realizado...

Leia mais

Usuários vão à Justiça contra alta de planos …

15-08-2016 Extra (RJ)

O advogado Rodrigo Araújo diz que a correção fere o Código de Defesa do Consumidor (CDC) O reajuste nos preços dos planos de saúde para quem entrou na faixa de 59...

Leia mais

A questão da saúde

15-08-2016 O Tempo (MG)

Ninguém sabe como vão funcionar os planos de saúde populares que o Ministério da Saúde pretende implantar em todo o território nacional, supostamente com a finalidade de desafogar financeiramente o...

Leia mais

Para sair da crise, planos de saúde e ANS bus…

14-08-2016 O Globo

Para melhorar atendimento, há iniciativas voltadas à prevenção e outras a idososPor Ione Luques / Luciana Casemiro RIO - Achar uma saída para a crise sem precedentes no sistema de saúde...

Leia mais

Gestão consciente de prevenção traz benefício…

08-08-2016 Lenir Camimura

Para adotar um programa de prevenção bem-sucedido em uma operadora de plano de saúde é preciso, antes mesmo de convencer o cliente a participar, mostrar à instituição os benefícios que...

Leia mais

Ministério da Saúde cria GT para discutir pro…

05-08-2016 Lenir Camimura

O Ministério da Saúde publicou, no Diário Oficial da União (DOU), desta sexta-feira (05), a Portaria 1.482/2016, que institui Grupo de Trabalho para discutir projeto de Plano de Saúde Acessível. De...

Leia mais

XI Congresso da Rede: Aplicação do Fator de Q…

04-08-2016 Lenir Camimura

A Instrução Normativa (IN) 61, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), e os impactos na rede prestadora e nas operadoras serão debatidos no dia 24 de agosto, no XI...

Leia mais

Para reforçar caixa, Santa Casa MS volta a ve…

30-07-2016 MidiaMax

Por enquanto, só empresas serão atendidas Um acordo entre a Santa Casa de Campo Grande, o maior hospital de Mato Grosso do Sul, e a ACICG (Associação Comercial e Industrial de...

Leia mais

Programas preventivos são ferramentas estraté…

29-07-2016 Lenir Camimura

Em tempos de crise, a medicina preventiva surge como uma ferramenta estratégica para barrar e até mesmo diminuir os custos das operadoras de planos de saúde. Num primeiro momento, os...

Leia mais

Notícias ANS

USUÁRIOS

LOCAIS DE ATENDIMENTO

Clique aqui e encontre a localidade mais próxima utilizando a lista de Estados.

COBERTURA

Informações sobre a cobertura da Rede Saúde Filantrópica

FUNCIONAMENTO

Informações sobre o funcionamento do sistema e o acordo das Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde, associadas à Rede Saúde Filantrópica

OBSERVAÇÕES

Observações para a realização de internações e serviços auxiliares de diagnóstico e terapia eletivos.

COBRANÇA DAS CONTAS

Informação sobre o faturamento das contas

TABELA A SER USADA

Informações sobre a tabela a ser utilizada pela Operadora que prestou o atendimento